Aprenda aqui e ganhe frete grátis

Atualizado em 14/10/2022

Disidrose: entenda o que é e o que fazer

A disidrose é uma doença de pele rara com alguns sintomas bem específicos como o aparecimento de bolhas contendo líquido na região, principalmente, da palma das mãos. Essa condição é decorrente de uma reação alérgica e muitos especialistas relacionam suas causas ao estresse. Neste artigo vamos falar mais sobre as características da disidrose, suas causas e os tipos de tratamentos adequados. O que é a disidrose A disidrose ou eczema disidrótico é uma doença de pele caracterizada pelo surgimento de pequenas bolhas contendo um líquido transparente que aparecem principalmente entre os dedos, palma das mãos e sola dos pés. As lesões que aparecem podem causar um grande desconforto e têm o tempo médio de duração de 3 semanas, mas podem vir a se tornar crônicas. Costuma ser mais frequente em pessoas na faixa de 20 a 40 anos podendo acometer tanto mulheres como homens. Por ser uma doença que é intensificada pela umidade da pele, em dias de temperaturas mais quentes onde é intensificado a produção do suor ela pode ser realçada. Sintomas O principal e mais característico sintoma é o aparecimento de pequenas bolhas com líquido nas mãos e pés, e a coceira intensa sendo mais frequente entre os dedos e nas palmas das mãos. Os sintomas podem ser divididos em duas fases . Na fase aguda, as bolhas se apresentam com um líquido incolor e podem ou não ser dolorosas. Coceira e vermelhidão também são um dos principais sintomas da doença e podem se agravar em dias mais quentes. Na fase crônica, quando as bolhas desaparecem, a pele tende a ficar mais grossa, podendo descamar e causar algumas rachaduras na palma das mãos e na planta dos pés, o que pode causar dor durante as atividades. Essas rachaduras podem ser porta de entrada para microrganismos. Causas Ainda não se sabe exatamente as causas da disidrose, porém especialistas relacionam sua ocorrência a fatores emocionais ou até mesmo como resposta do sistema imunológico a medicamentos e algumas substâncias de contato. A disidrose também tem sido associada a reações alérgicas, fungos e ao principalmente a hiperidrose, que é o suor excessivo. Há também alguns casos em que fatores genéticos podem contribuir com o desenvolvimento desse problema. Tratamento A disidrose não possui cura, porém o combate a seus agentes causadores é possível e na maioria das vezes eficaz. A seguir mostramos alguns aliados no combate a esta doença. Pele A nossa pele já é uma região sensível por natureza e durante o tratamento da disidrose ela pode se tornar mais vulnerável já que é comum um dos seus sintomas ser o ressecamento excessivo da pele. Por esse motivo é muito importante manter as áreas afetadas sempre bem higienizadas para evitar infecções bacterianas. É recomendado também que se evite o contato da pele com substâncias tóxicas nesse período, como por exemplo alguns produtos de limpeza. Para isso, o uso de luvas nas mãos, quando essa área é a afetada, é importante. Outra recomendação é usar compressas de gelo ou banhos de permanganato de potássio, duas ou três vezes ao dia, como auxílio no alívio dos sintomas e consequentemente para melhorar o aspecto da pele. Nesta fase o uso de cremes e pomadas a base de corticoide ou pasta d’água também podem auxiliar variando de caso a caso. Remédio Na fase mais grave da doença é atribuído o uso de medicamentos antibióticos por via oral. Há também casos em que a fototerapia ou o botox serão melhores aliados em seu tratamento. Alguns remédios caseiros também podem auxiliar no combate aos sintomas da disidrose, por exemplo: compressas com calêndula, uma planta com propriedades cicatrizantes e que ajudam a acalmar a pele. O vinagre de maçã também pode ser usado como remédio natural, neste caso aconselha-se umedecer um algodão com o vinagre e passar diretamente sobre as áreas afetas. Fototerapia Outro tratamento que pode ser iniciado quando nenhum dos tratamentos convencionais se mostram eficazes é a fototerapia. Esse procedimento utiliza a luz ultravioleta na região da pele afetada pela disidrose e age interferindo a produção de células nessas regiões específicas. A fototerapia pode ainda ser usada junto com alguma medicação oral ou tópica onde o paciente faz uso da medicação e 2 horas depois é exposto à radiação ultravioleta. Botox A toxina botulínica, popularmente conhecida como botox, pode ser uma aliada no tratamento da disidrose quando o uso de corticóides e tratamentos caseiros não solucionam o quadro. O botox age impedindo que as glândulas sudoríparas, que são as responsáveis pela produção de suor, fiquem hiperfuncionantes. Isso é uma medida muito importante pois ao possuir Hiperidrose, a região afetada permanece úmida constantemente. Sendo assim o botox pode controlar a irritação na pele causada pela doença. Disidrose se pega? É importante ressaltar que a disidrose não é uma doença contagiosa pois é uma condição decorrente de reação alérgica. Ou seja, não há riscos de transmissão através do contato, mesmo quando há contato direto com a pele. Relação entre a disidrose e o suor A disidrose é mais frequente durante o verão ou em períodos em que as temperaturas estão mais elevadas fazendo com que o corpo produza uma maior quantidade de suor nessas épocas para a regulagem da temperatura corporal. Há estudos que associam a produção exagerada de suor ao desenvolvimento da disidrose e de outros problemas de pele, como intertrigo, por isso os casos de disidrose podem piorar durante essas épocas. Como a pele de quem possui disidrose é mais sensível, alguns componentes presentes em desodorantes intensificam a reação alérgica aumentando o desconforto e dor. O Programa Adeus Desodorantes é um excelente aliado para que você fique livre de mau cheiro corporal, como nas axilas, no pé, abaixo dos seios, no couro cabeludo, entre outras partes mais.

Veja mais!

Upsell Kit Antiodor Completo (1˚ e 2˚ etapa) Visto.bio Adeus Suor® e Mau Cheiro® | (240ml)
Kit Antiodor Completo (1˚ e 2˚ etapa) Visto.bio Adeus Suor® e Mau Cheiro®
R$ 577,99
R$ 371,99
SAIBA MAIS